O fenómeno do Marketing Digital

posted by H+K Strategies

O marketing nas versões 2.0 e 3.0 há muito que chegou e veio para ficar. As redes sociais deixaram de ser apenas uma ferramenta de marketing pessoal, evoluindo agora para um padrão cada vez mais corporativo e, se no passado, uma empresa que não tinha site perdia a identidade, agora as redes sociais ampliam este paradigma.

De um modo geral, as grandes empresas mantêm o seu budget de marketing, continuando a investir nos meios tradicionais ao mesmo tempo que implementam estratégias nas redes sociais. Não obstante, empresas que não dispõem do capital suficiente para investir em comunicação e publicidade, apostam primeiramente numa abordagem digital que lhes permite apresentar a empresa e interagir com os clientes a menor custo. Um estudo realizado pela Global Trust Survey revela que 92% dos inquiridos oferece mais confiança às recomendações de amigos do que a qualquer outra forma de publicidade.

O menor investimento em conformidade com o maior retorno é o fator mais atrativo. No entanto, para apostar nestas ferramentas é necessário usufruir de know-how, tempo e recursos suficientes para atingir o sucesso. Desengane-se quem pensa que estar presente numa rede social é tarefa fácil. Manter um relacionamento com todos os fãs de uma página pode ser uma tarefa bastante difícil e tornar-se prejudicial se tal não for bem feito.

É necessário que as empresas entendam que partilhar esta função entre colaboradores não é viável, sendo que a solução passa por investir na contratação e/ou formação de uma pessoa cuja responsabilidade primária seja a gestão da presença da marca nestas plataformas. Se tal não for possível, a melhor opção passa por contratar os serviços de uma empresa especializada na área. Para além das várias vantagens associadas, as redes sociais são o meio de comunicação mais mensurável, permitindo avaliar a performance de uma campanha (por exemplo) de forma mais fácil e sem custos associados.

O marketing digital tornou também o consumidor mais exigente. Com a chegada destas ferramentas, este exige que as marcas esclareçam todas as questões através destes meios. As redes sociais são agora o maior vínculo entre marca/consumidor. Segundo um estudo recente da Forrester, empresa especializada em estudos de mercado, 74% dos fãs de uma marca nas redes sociais estão dispostos a recomendá-la a terceiros.

Dada a popularidade do fenómeno, é crescente o número de ofertas de emprego no âmbito desta vertente. As empresas solicitam agora não só especialistas nesta área (comummente denominados de comunity managers), mas também marketeers com experiência e formação comprovadas.

A função de um community manager passa por estabelecer a ligação entre a empresa e o consumidor e de um modo geral, gerir a reputação da marca nos meios digitais. Este profissional deve ter competências no âmbito das relações públicas, do marketing pessoal e relacional, da liderança e um vasto conhecimento das tendências de mercado. As suas funções passam, entre outras, pela identificação de oportunidades de negócio, gestão de crise, relacionamento com o consumidor, monitorização do buzz existente sobre a marca, e em alguns casos, pela implementação de estratégias de marketing viral.

Como consequência, também para o ensino o marketing digital trouxe a revolução. As ofertas em licenciaturas, mestrados, pós-graduações e especializações na área é cada vez maior, sendo agora um complemento essencial e seguro para quem trabalhe na área do marketing.

No entanto, esta noção, não se prende apenas às redes sociais, sendo que envolve toda a estratégia implementada nos meios digitais, nomeadamente, o e-mail & mobile marketing, publicidade online, estratégias de realidade aumentada, etc.

Sem dúvida, o marketing digital é hoje uma ferramenta indispensável para as empresas e uma aptidão necessária para os profissionais de marketing.

Sofia Vicente – Junior Account Executive @ Hill+Knowlton Strategies Portugal

Add a comment